Acolhida aos professores apresenta metodologias ativas e tecnologias digitais

Docentes são recebidos para o 2º semestre de 2016 com novo plano acadêmico. Proposta é alinhar projeto pedagógico inovador com estreia de nova matriz curricular para este semestre

Em clima de capacitação para início do 2º semestre letivo, a Universidade Católica de Brasília (UCB) realizou, no dia 18 de julho, pela manhã, a tradicional acolhida aos docentes. Além das boas vindas, os professores participaram de curso sobre os desafios e as possibilidades no uso das metodologias ativas e tecnologias digitais no ensino superior, com a palestrante Dênia Falcão de Bittencourt. O objetivo foi capacitar os docentes para a nova realidade em sala de aula, já que a perspectiva é a inauguração, até o final de 2016, de, pelo menos, cinco espaços com modelos interativos de aprendizado.

O reitor da Universidade Católica de Brasília, Gilberto Gonçalves Garcia, esteve presente na abertura da palestra e falou sobre o cenário atual da educação. Segundo com Garcia, o projeto em curso está de acordo com a reforma dos modelos pedagógicos com a introdução de novas metodologias. “É uma formação a mais para os docentes saberem lidar com os jovens, que conhecem as tecnologias atuais. É uma alternativa aos métodos tradicionais de ensino, uma grande chance de trabalhar num ambiente que não seja exclusivamente dentro da sala de aula. Todos estão nesta visão para uma linguagem jovem voltada aos estudantes”, disse.

Jovens no centro

As metodologias ativas na prática educacional estão em diálogo com as necessidades da demanda do século XXI que possui jovens empoderados com capacidade de solucionar problemas, pensamento crítico, autonomia, criatividade e fazem uso de redes. Para a palestrante Dênia Falcão, este é um momento de construção para saber como serão utilizadas as tecnologias digitais para desenvolver a aprendizagem ativa. Além disso, os professores precisam ter uma visão estratégica para criar oportunidades ao trabalhar de forma colaborativa.

“Saímos da sociedade do conhecimento para a sociedade da aprendizagem. Hoje trabalhamos em rede e as tecnologias digitais atuam para facilitar nosso desenvolvimento social. Por isso o professor precisa ser capacitado em relação a conteúdos, tecnologias e práticas didáticas. O docente sai de uma posição de transmissor para uma posição de gerador do conhecimento. Isso significa auxiliar o estudante a fazer bons questionamentos ao saber lidar com competências, como informação, segurança de dados e linguagem”, explicou Dênia.

O Pró-Reitor Acadêmico, Daniel Rey de Carvalho, acredita que debater esse tema é uma necessidade para a formação dos estudantes, que precisam se sentir estimulados para desenvolver autonomia de estudar e de diversificar. “Sabemos que nossos professores já adotam vários métodos e, portanto, têm afinidade com métodos diferentes. Essas capacitações trazem experiências de fora para agregar com nossas experiências internas no intuito de melhorar e modificar hábitos”.

De acordo com o Pró-Reitor de Administração, Fernando Souza, o evento completa o ciclo de mudança no modelo de ensino e aprendizagem da Universidade. “É importante a capacitação dos docentes para darmos oportunidade de se aprimorarem e trocarem experiências. O projeto de metodologias ativas já vem sendo construído desde 2015 e, a partir deste semestre, vamos apresentar aos calouros uma nova matriz curricular. Junto com essa mudança pedagógica, haverá uma mudança na estrutura da sala de aula. Nossa ideia é construir cinco salas interativas com foco na curiosidade do jovem que terá acesso a diversas fontes de pesquisa e de interesse”, destacou.

Segundo Rey, não há apenas uma técnica específica, pois, para inovar, é necessário estar aberto a novas técnicas e possibilidades. “É importante diversificar e atender às necessidades dos estudantes naquele momento, saindo do conservadorismo que é aparente na academia. Inicialmente, queremos flexibilizar ao deixar que os professores definam suas próprias características. Assim, naturalmente, surgirão metodologias diferenciais”, disse.

O coordenador do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da Coordenação Geral de Formação Continuada, Christian Philip Klein, explicou que a preparação dos docentes para início do semestre foi estruturada em vários dias com palestra, oficinas e workshops sobre as plataformas de Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), Moodle e Blackboard, e treinamento para os professores que trabalharão nos cursos com novas matrizes curriculares. “Isso faz com que os professores se sintam mais seguros e atualizados em sala de aula. Buscamos esse aperfeiçoamento para contemplar algumas tecnologias de inovação do ensino. Assim, os docentes aprendem a preparar aulas com novos acessórios”, apontou.

Anny Cassimira

Fotos: Faiara Assis